Profissionais com Talento

O talento é estudado nas mais diversas áreas, desde o futebol, à economia, desde a psicologia, à gestão.
Cada pessoa terá a sua própria definição de talento, uns assumem que é fruto de um dom, da sorte ou do acaso; outros consideram que é fruto do esforço, da persistência e do trabalho. A literatura não esclarece propriamente o conceito, porque não é algo que possamos observar diretamente (Freitag & Ficher, 2013). O talento pode um conjunto de capacidades com as quais nascemos, ou que desenvolvemos e que influenciam o nosso sucesso em determinadas atividades. Uma pessoa com talento poderá ser alguém muito inteligente, muito ágil ou engenhosa.
Num exemplo tirado do futebol, para ser algo conhecido de todos, poderíamos dizer, sem grande contestação, que o Cristiano Ronaldo é um profissional com talento. Neste caso, na área do futebol. Poderá ser completamente desprovido de talento na área musical, por exemplo. Ou seja, para determinar se uma pessoa, ou um trabalhador, tem talento, temos de nos focar em áreas de atividade específicas – e assim, o talento poderá ser entendido como ser o melhor, ou ser muito bom numa determinada atividade, tarefa ou profissão.
Numa empresa ou organização, para avaliar ou para recrutar profissionais de talento, primeiro tem de se definir que características, competências, comportamentos, e resultados são os mais desejáveis, e os que trazem mais sucesso à realização de uma tarefa ou ao sucesso de uma função. De outra maneira, não se saberá identificar quem é o melhor profissional ou a pessoa ideal para a função. No fundo, ao definir as competências, os comportamentos necessários e os resultados que deverão existir para o sucesso de uma função, estamos a tornar objetivo um conceito que era, à partida, subjetivo.
Em cada organização, existirá pelo menos um profissional com talento que não está na função adequada, e por isso, não é valorizado de forma ajustada às suas competências e não tem, com certeza, o sucesso que poderia ter. Cabe a cada pessoa autoavaliar-se no sentido de descobrir as suas potencialidades. Contudo, e cada vez mais, cabe às organizações, aos gestores, e aos responsáveis de recursos humanos, clarificar o que é o talento no seu caso específico, para poderem selecionar as pessoas certas para os lugares certos, e atingirem um maior nível de produtividade. Provavelmente uma empresa agrícola precisa de profissionais com capacidades diferentes de uma empresa de informática.
As pessoas são a base de todas as organizações, um recurso indispensável mas com grande potencial. A produtividade e os resultados de uma máquina são facilmente medidos – nas pessoas não é bem assim, portanto, todas as funções que dependam do fator humano, dependem do ajustamento entre os requisitos da função e as capacidades da pessoa que a vai desempenhar. A diferença entre duas empresas do mesmo setor, com as mesmas máquinas, e os mesmos produtos, é feita pelas pessoas que lá trabalham, por isso, quanto melhor as organizações avaliarem, atraírem e desenvolverem profissionais de talento, mais sucesso e rentabilidade terão.

Marília Santo – Project Manager
mariliasanto@humangext.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de Email não será publicado.

Podemos ajudar?

CONTACTE-NOS

Topo

Sempre a pensar em Si.

Criámos uma Mailing List exclusiva para que você receba em primeira mão as nossas notícias e publicações.

" >CONTACTE-NOS
close slider
  • Escreva aqui a sua Mensagem.
  • Este campo é para efeitos de validação e deve ser mantido inalterado.